Curadoria

Gian Orsini

Diretor e roteirista, escreveu e dirigiu os curtas Irmãs (2011), Catástrofe (2013), Sexta-feira (2015) e Campana (2016), com circulação em mais de 50 festivais e mais de 20 prêmios em festivais brasileiros. Atuou em diversos projetos ligados ao audiovisual, integrando a Associação Brasileira de documentaristas e Curta-metragistas – Seção Paraíba, o Pontão de Cultura Rede Nordestina Audiovisual, e o Tintin Cineclube. Integra o núcleo criativo financiado pela Ancine “O gênero como espelho do real”, da produtora Vermelho Profundo, onde desenvolve seu primeiro longa-metragem “O estranho vazio”. Atualmente é diretor e programador do Cine Banguê, cinema público ligado ao Governo do Estado da Paraíba. Também é Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense – UFF, Linha de pesquisa Estudos do Cinema e do Audiovisual. Graduado em Rádio e TV e Relações Públicas (Comunicação Social) pela Universidade Federal da Paraíba.

Betânia Avelar

É cineclubista, fundadora do Cine Gaia. Desenvolveu trabalhos de educomunicação e cineclubismo pelo Instituto INDIA Amazônia. Trabalhou como técnica audiovisual do SESC Rondônia de 2017 a 2022. Foi curadora do 3º Festival Santa Cruz de Cinema, do Edital Emergencial Sesc Cultura Convida, das Mostras Sesc de Cinema (1ª, 2ª e 3ª edição) e do Festival Estudantil Rondoniense de Arte, 1ª Ed. FantaCine e Cine RO. É formada em Comunicação Social pela UNIRON e atualmente cursa Pós-graduação em Cinema e Linguagem Audiovisual pela Universidades Estácio de Sá, Polo Porto Velho/RO.

Ian Abé

Começou seu trabalho com cinema como cineclubista, enquanto cursava Arte e Mídia, na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). É um dos fundadores da Vermelho Profundo, produtora especializada em cinema de gênero. Dirigiu quatro curtas-metragens (“Mais Denso que Sangue”, “Cova Aberta”, “Não Tão Longe” e “Sangue por Sangue”) e a série/longa-metragem “O Nó do Diabo” (junto com Gabriel Martins, Jhésus Tribuzi e Ramon Porto). Além de escrever e dirigir, Ian trabalha nos sets, na equipe de direção, como assistente de direção, função que exerceu quando trabalhou em longas como “A Noite Amarela”, “Desvio” e “Batguano”. Já como continuísta, seu principal trabalho nesta função foi no filme “Bacurau”. Atualmente, finaliza mais dois curtas: “Brujeria” e “Um passo ao desconhecido”. “Brujeria” foi filmado em Super 8 e é vinculado ao projeto “8 por 8”. É mestrando do PPGC na UFPB, com um projeto de pesquisa focado em analisar os padrões cinematográficos na produção cinematográfica contemporânea em “A Balada de Buster Sgruggs”, dos irmãos Coen. E aguarda os recursos para rodar seu próximo longa: “O Braço”.